Porto Velho, 20 de Abril de 2014

SEXO

Primeira mamada

20/01/10 às 11:49 | MASKATE
Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome do Destinatário:
E-mail do destinatário:
Mensagem:
Seu Nome:
Seu E-mail:
Mensagem:

Meu nome é Letícia, tenho 19 anos, sou morena, baixinha (1 metro e meio de altura), olhos verdes, cabelos compridos e um corpo estilo violão, bem tesudinho. Eu morava no interior. Desde pequena eu sempre fui muito inocente e não maldava as coisas que aconteciam ao meu redor, mas o tempo foi passando e eu comecei a perceber certos fatos. Tinha um primo, o Pedro. Sempre tive uma queda por aquele danado. Numa daquelas noites no interior eu dormi decidida a experimentar uma transa. De manhã fui direto para o quarto e falei com o Pedro que já não agüentava mais ficar sem experimentar uma transa.

O Pedro me olhou e disse que quando fosse por volta do meio-dia eu voltasse ao quarto que ele me deixaria mamar o quanto eu quisesse. Voltei para a casa feliz, pois teria um sonho a ser realizado. Lá pelas dez horas, meus pais saíram para fazer compras, eles queriam me levar, mas eu dei uma desculpa, pois queria ficar em casa para ser enrabada. Queria experimentar uma tchola, pois estava louca para dar meu toba. Quando cheguei logo chamei o Pedro que apareceu de prontidão e me levou para os fundos do quarto e disse que já voltava, eu me sentei na palha e fiquei esperando, quando o Pedro voltou, notei que estava com as calças abertas e falei com ele, no que ele virou para mim e falou para eu chegar mais perto, quando me aproximei logo reparei que Pedro tinha colocado para fora das calças algo grande e duro. Eu tentei me esquivar, mas ele segurou no meu braço e disse que eu já era muito grandinha para saber o que ele queria e que já era hora de me ensinar a mamar a tora dele.

Ele começou a me beijar de mansinho e eu comecei a sentir um arrepio subindo pelas pernas, ele me beijava com vontade e eu correspondia, meio inexperiente, aos poucos fui me soltando, ele tirou minha blusa e começou a acariciar meus peitinhos pequenos e durinhos de tesão, eu comecei a gemer baixinho igual uma gata no cio, ele parou de me beijar e começou a mamar meus peitinhos me chamando de vaquinha safada e tesuda, eu já estava com as pernas mole e ele colou o corpo no meu, foi quando eu senti aquele cacete duro roçando nas minhas coxas, nisso a minha xoxotinha já estava ensopada de tesão, daí o Pedro me disse: “Vem mamar aqui, vou te dar leite quentinho”.

Ele me fez ajoelhar e botou aquele caralho imenso para fora (fiquei sabendo depois, 23X6) e me falou para mamar, eu comecei a chupar aquela cabeçona vermelha que já estava toda melada, chupava devagar, meio que com medo, mas como sou espertinha fui pegando o jeito e mamava sem parar, engolindo a cabeça daquele cacetão igual uma bola de sorvete, quanto mais eu mamava mais alto o Pedro gemia, eu já estava ficando experiente e agora já mamava sem medo, engolindo aquela tora maravilhosa, lambendo tudo, cabeça, saco, pau, tudo, foi quando o Pedro disse para eu me preparar que ele iria gozar e me daria o leitinho que eu tanto queria.

Mamei com mais vontade ainda, eu mamei tudinho, cada gotinha daquele leite gostoso que ele me dava. Quando ele acabou de gozar, eu já estava empanturrada. Daí ele me deu um beijo na boca e perguntou se eu havia gostado, e eu mais que satisfeita disse que sim, então ele virou pra mim e disse que agora era ele quem queria mamar meu peitinho, nisso ele já foi me deitando na palha e arreganhando minhas pernas e caiu de boca na minha xoxota toda melada, chupando o meu grelinho, passando a língua em volta e metendo um dedo na minha grutinha, nessa hora eu já estava gemendo alto como uma verdadeira puta safada, e o Pedro enterrando a língua na minha xota, quando eu gozei foi demais e o Pedro mamou todo o meu melzinho.

Não satisfeito o Pedrão botou tudo aquilo que tem no meu rabo. Como eu gostei. Fui chupada, enrabada, engolida, mordiscada e no final gozada. A minha primeira mamada foi espetacular, assim como a primeira pombada no rabo. Só em pensar e escrever, eu já estou gozando. Beijos Pedrão!

 

Letícia Carvalho - Japiim

 

2009 - O COMBATENTE - Todos direitos reservados.